Danças a um Deus Pagão

A acção decorre num lar católico constituído por cinco irmãs solteiras que se esforçam pela manutenção de uma vida familiar no Condado de Donegal, na Irlanda, na década de trinta. A história do seu último ano juntas é narrada por Michael, o filho ilegítimo de uma das irmãs. A peça decorre durante as semanas de Lughnasa, as festas irlandesas das colheitas, assim chamadas a partir do deus pagão irlandês, Lugh. Para Michael, as memórias incandescentes daquele Verão são o aparecimento do seu pai, o charmoso Gerry Evans; os efeitos provocados nas suas tias pelo “Marconi”, um rádio dotado de poderes contagiantes, dionisíacos; e o regresso de África do seu tio missionário, o Padre Jack.
O “Marconi” ganha uma força especial para cada uma das irmãs – por causa da música, que embora censurada de acordo com princípios religiosos, lhes abre os horizontes da dança… As mulheres de “Danças A Um Deus Pagão” entregaram a sua juventude e os seus sonhos a uma vida da qual só a dança as pode libertar.Tal como a música, a dança confessa aquilo que não pode ou não deve ser falado. “Não fales mais, chega de palavras” diz a mãe de Michael ao seu pai quando executam uma série de passos à Fred Astaire e Ginger Rogers…

intérpretes KATE FERNANDA LAPA | MAGGIE CUCHA CARVALHEIRO | AGNES ISABEL MEDINA | CHRIS CRISTINA CARVALHAL | MICHAEL AMADEU NEVES | PADRE JACK ANTÓNIO RAMA | GERRY ANTÓNIO CORDEIRO
tradução e dramaturgia PAULO EDUARDO CARVALHO
encenação ROSAMARIA RINALDI
cenário JUAN SOUTULLO
assistente de cenografia RUI PEDRO PINTO
direcção musical LUIS CÍLIA 
figurinos
 MARIA GONZAGA
coreografia MARTA LAPA

desenho de luz ORLANDO WORM
design gráfico PEDRO ROSA
coordenação do programa DINA LOPES | PAULO EDUARDO CARVALHO

assistência direcção de cena CLÁUDIA OLIVEIRA
fotografias MARIA JOÃO MONTEIRO

produção delegada CASSEFAZ
direcção MIGUEL ABREU
assistente de produção JORGE BOTA
secretária de produção AIDA SOUTULLO
produção ESCOLA DE MULHERES – OFICINA DE TEATRO

Teatro Municipal Maria Matos (Sala principal)
Estreia absoluta em Portugal
27 de setembro a 20 de outubro, 1996

Os comentários estão fechados