Lugar Comum

Três casais, três histórias risíveis de desamores. Um deles degladia-se enquanto dança tangos. O outro, num parque de diversões, enquanto atira a patos mecânicos, acaba por se matar. O terceiro, num engate de ocasião e após uma noite de copos e sexo dentro do carro, de agressões verbais e de aparente superioridade masculina, separa-se quando a mulher deixa o homem a dormir num descampado e foge com o automóvel dele…
As personagens saiem de um ecrân para continuarem a acção no palco. O vídeo e o teatro marcam o ritmo do espectáculo que funciona como uma dança.
“São três microcomédias conjugais e/ou sexuais”.”Esta variedade de retratos de família, a sábia mistura de teatro com vida (e vice-versa), de sexo com anti-sexo, de comédia trágica com comédia cómica e de vídeo com áudio faz de “Lugar Comum” um espectáculo estimulante, uma alegre e “kitsch” contribuição para um “Decameron” da década de 90”. (Manuel João Gomes)

NOTA – Passados dois anos após a apresentação deste espectáculo foi noticiado o escândalo internacional que envolveu este texto. A autora foi acusada de plágio e viu-se obrigada a devolver o prémio que lhe tinha sido atribuído.

intérpretes HOMEM DOS PATOS ANTÓNIO CAPELO | MULHER DOS PATOS CLARA NOGUEIRA | BAILARINA DE TANGOS EMÍLIA SILVESTRE | BAILARINO DE TANGOS JOÃO PAULO COSTA | ENGATADOR JORGE PINTO | ENGATADA MARINA ALBUQUERQUE | NARRADOR PEDRO ABRUNHOSA


tradução, encenação, espaço cénico e conceção vídeo FERNANDA LAPA
música originalMÁRIO BARREIROS
coreografia dos tangos GRAÇA PINTO
figurinos LUISA PINTO
desenho de luz MÁRIO BESSA
coprodução ESCOLA DE MULHERES / ENSEMBLE

Auditório do Balleteatro – Porto
Estreia absoluta 3 de abril, 1997

Cine Teatro D. João V – Damaia
Reposição de 10 a 13 de julho , 1997

Os comentários estão fechados