O Argumento – Product

O ArgumentoEla é uma jovem estrela em ascensão. Precisa acima de tudo de um argumento que a salve do inferno dos filmes classe B. Um guião que consiga equilibrar integridade artística e recordes de bilheteira. Ele acha que tem a ideia perfeita – apresenta-lhe uma personagem, Amy que é uma jovem executiva de topo. Vítima indireta do atentado de 2001 às Torres Gémeas, Amy carrega a morte de Troy como uma ferida por estancar.
De regresso a Londres depois de uma viagem de trabalho, Amy conhece Mohammed, um muçulmano misterioso a quem oferece boleia e com quem rapidamente se envolve, até descobrir que Mohammed integra um corpo de bombistas suicidas da Jihad cuja missão é fazer explodir alguns dos mais célebres monumentos europeus um argumento que consegue misturar uma tórrida história de Amor com o espectro sombrio do Terrorismo e grandes, enormes explosões.

Com Product, Ravenhill pega nas convenções dramáticas aceites e oferece-nos uma narrativa veloz com uma intriga engenhosa de âmbito épico. A peça não nos permite apenas concordar ou discordar com a temática. Convida-nos antes, com um humor espirituoso e uma análise incisiva, a perguntar como podemos compreender melhor as nossas próprias respostas aos tempos que atualmente atravessamos. O Argumento – Product não aparece apenas como uma das reações mais eloquentes do teatro à nova (des)ordem mundial, contribui para estabelecer Ravenhill como uma das vozes mais originais e articuladas que surgiu no teatro britânico nos últimos vinte anos. Mark Ravenhill sentiu necessidade de regressar a um dispositivo teatral simples, privilegiando uma comunicação direta. O resultado foi precisamente O Argumento – Product, um monólogo escrito (e interpretado pelo próprio, na sua estreia mundial), onde um produtor de cinema narra a história do guião do seu próximo filme à atriz que pretende contratar.

autoria MARK RAVENHILL
tradução, dramaturgia e encenação ISABEL MEDINA
cenografia RUI ALEXANDRE
desenho de luz e assistência de encenação INÊS POMBO
música original JOÃO BENGALA
voz GENOVEVA FAÍSCA
figurinos HUGO SEQUEIRA vestido por DIELMAR | OLÍVIA vestida por RUI ALEXANDRE
fotografia cartaz e vídeo de cena MANUELA JORGE
design gráfico VASCO LOPES

interpretação HUGO SEQUEIRA (produtor)

execução e montagem do cenário MARINEL MATOS | TIAGO RAMOS
execução cortina FMODA
assistência de produção RAQUEL LOUREIRO
estagiárias ANDREIA DE SOUSA | SARA DE AMORIM
operação de som ANDREIA DE SOUSA
operação de vídeo SARA DE AMORIM
direção produção Escola de Mulheres MANUELA JORGE
produção ESCOLA DE MULHERES

Espaço Escola de Mulheres (Clube Estefânia)
06 de Maio a 06 de Junho, 2010

Espetáculo de Abertura de Cabeças Falantes – Festival de Monólogos

Os comentários estão fechados